Acetato Celuloso – Conselhos para a laminação.

O acetato de celulose tem propriedades mecânicas distintas quando comparado com o polipropileno, o que significa que o filme precisa ser manuseado com mais cuidado. Em particular, o acetato é um material mais rígido e menos extensível, e as seguintes recomendações devem ser seguidas durante processo:

Os rolos para laminação geralmente são embalados em caixas de cartão, suspensos em blocos de madeira e têm uma embalagem externa de filme de polietileno. Os rolos devem ser cuidadosamente desembalados, evitando danos nas extremidades dos mesmos. Para isso é melhor cortar cuidadosamente as quatro extremidades da caixa para que os lados se dobrem ou abrindo e dobrando a parte superior da caixa e rolando cuidadosamente a caixa para que o rolo deslize para exterior.

As caixas de cartão originais devem ser mantidas e reutilizadas para armazenar os rolos parcialmente usados.

Os rolos devem ser levantados a partir do meio, evitando contato e possíveis danos nas extremidades do filme. Da mesma forma, os rolos nunca devem ser colocados ou armazenados na vertical. Um ligeiro entalhe ou contusão na extremidade de um rolo de acetato pode causar rasgos repetidos durante o processamento.

Se apenas parte de um rolo for usada numa laminação, o rolo remanescente deve ser cuidadosamente enrolado novamente em filme de polietileno, dobrando as extremidades no núcleo para “selar” o rolo. O rolo deve então ser armazenado, de preferência suspenso através de uma barra através do núcleo ou como na embalagem original.

Temperatura extremas e humidade devem ser evitados ao armazenar o filme de acetato.

Recomenda-se as seguintes condições e armazenamento: temperatura de 15 ° a 25 ° C e uma humidade relativa de 30% a 60%.

Ao aplicar a cola no filme – que pode ser à base de solvente ou à base de água – é recomendável não exceder a quantidade, especialmente ao usar colas à base de água. Com colas à base de água, pode haver uma tendência para o filme se enrolar nas extremidades.

Isso pode ser mais problemático em máquinas que usam um túnel a ar do que em calandra aquecida.

Ao colocar o filme de acetato na máquina, o filme deve ser revestido com cola na largura total do filme cuidadosamente puxado em baixa velocidade. Isso ajuda a evitar rasgos iniciais.

O filme de acetato não pode ser acrescentado para transportar através de uma máquina, como às vezes é feito com o OPP.

No início, sugere-se minimizar a quantidade de cola aplicada no filme e aumentar rapidamente a velocidade de laminação no valor normal (geralmente mais baixo do que o geralmente definido usando filmes de BOPP).

Observe que “quantidade mínima de cola” significa a quantidade de adesivo suficiente para deixar o acetato correr na máquina sem criar atritos ou tensões. Durante a fase de aceleração do filme, a quantidade correta de cola deve ser reposta para o valor ideal. Observe que os rolos de acetato para laminação possuem uma etiqueta indicando de que lado a cola deve ser aplicada. O filme brilhante é sempre enrolado com o lado da aplicação de cola para fora.

Para uma aderência perfeita, recomendamos o uso de um sistema adesivo de dois componentes, um adesivo com alto teor de sólidos (+ 50%) e um cross-linker (substância que vai promover a ligação entre os dois polímeros).

Aconselhamos fortemente que ensaios de adesividade sejam realizados antes de executar qualquer novo trabalho de laminação. Também recomendamos cautela ao usar tratamentos com energia de superfície no filme. Normalmente, estes filmes não exigem pré-tratamento. Se os usuários preferirem o pré-tratamento, deve-se tomar cuidado para não criar uma tensão superficial demasiado elevada.

Fonte: Magadata Group – departamento técnico